Autossabotagem

e síndrome do impostor: saiba identificar os sintomas

maio 23, 2019 | Shaíze Roth
Autossabotagem e síndrome do impostor: saiba identificar os sintomas
Esse texto vai iniciar com algumas perguntas destinadas a você, leitor. Você tem dificuldade em assumir responsabilidades? Culpa os outros pelos seus erros ou por situações que não deram certo? Está constantemente sem foco ou objetivos? Sempre deixa tarefas ou decisões importantes para depois? Acredita que seu trabalho nunca é bom o bastante?

Talvez responder essas perguntas agora não seja uma tarefa fácil, mas tudo bem. Nem sempre temos facilidade nos reconhecer em alguns desses comportamentos. Mas, se você respondeu sim para alguma delas (ou todas), talvez você esteja sofrendo de um mal chamado autossabotagem.
A autossabotagem, também conhecida como boicote pessoal, pode vir de muitos lugares e muitas vezes é difícil de ser identificada. Existem comportamentos desse tipo que são muito complexos e necessitam do auxílio de um psicólogo para serem entendidos. Mas, em outros casos, é possível diagnosticar o problema e começar uma mudança em sua vida, de dentro para fora, para resolvê-lo. Nesse texto, vamos mostrar alguns sinais que denunciam a autossabotagem e falar um pouco de um problema que atinge muita gente: a síndrome do impostor.

A síndrome do impostor

Esse subtítulo também poderia ser: “por que você acredita que nunca é bom o bastante?”. A síndrome do impostor se trata justamente disso. Pessoas capazes, inteligentes e competentes em suas vidas profissionais sentem uma distorção que as faz sentirem-se incompetentes, burras e incapazes. Além disso, também é bem comum que um dos sintomas desse mal seja aquela sensação de estar “enganando” todo mundo, de receber elogios e ter certeza absoluta de que não é merecedor deles. Em resumo: sentir-se uma fraude.
Muitas pessoas se identificam com esses sintomas em suas vidas profissionais. Isso pode vir de uma pressão muito grande externa ou mesmo de uma sensação grande de aprovação, merecimento ou pertencimento. Seja como for, o auxílio de um profissional de saúde mental ou de um coaching pode ser efetivo para diagnosticar esses sintomas, entendê-los e superá-los.

Vamos indicar algumas pistas de que você pode estar sofrendo da síndrome do impostor ou de autossabotagem. Fique atento e vem com a gente.

Você é extremo no trabalho: nesse sintoma, temos duas opções: ou você se torna um viciado por trabalho ou você se torna preguiçoso e deixa de se esforçar. O primeiro ocorre, principalmente, porque você acredita que todos ao seu redor são mais inteligentes e capazes que você. Assim, é necessário um esforço intenso e exagerado para se igualar aos seus colegas de trabalho. Nessa lógica, quanto mais sucesso você tiver sendo um workaholic (viciado em trabalho), menos chances de você ser descoberto como “fraude”. No segundo caso, você deixa de se esforçar e fazer suas atividades porque acredita que é melhor que pensem que você não as fez por preguiça do que por falta de capacidade.

Você deixa tudo para depois: adiar o trabalho pode ser uma desculpa para evitar qualquer situação que exponha suas falhas. Você diz para si mesmo que funciona melhor sob pressão, mas sabe que, deixando tudo para a última hora, existem mais chances de que a qualidade do seu trabalho seja prejudicada. Assim, dessa vez, a desculpa será a falta de tempo e não uma possível incapacidade que você acredita ter.

A culpa nunca é sua: jogar suas responsabilidades para cima dos outros também é um sintoma de autossabotagem. Assim, você se esquiva de pensar e apresentar soluções e não precisa enfrentar o medo de falhar. Pessoas com esse sintoma estão sempre na defensiva, escondendo suas fraquezas e constantemente fugindo de encarar um assunto importante.

Você nunca termina suas tarefas: outra clássica forma de esconder suas fraquezas. Não terminando nenhuma das suas atividades, você se protege de críticas e não é exposto por sua “falta de capacidade”. Dessa forma, você sempre se defende com argumentos como “ainda não está pronto” ou “estou apenas experimentando”.

Se você se identificou com algum desses sintomas, o coach pode te ajudar a resolver esse problema e tornar sua vida pessoal e profissional muito melhor. Clique aqui para saber mais!